Antes da década de 90, o Brasil convivia com inflação elevada e pouca exposição à competição internacional. O setor de varejo se desenvolveu de uma forma romântica, com muitas empresas familiares, baixo desenvolvimento tecnológico e muitas vezes com resultado operacional deficitário que era compensado pelo elevado resultado financeiro provocado pela inflação, fruto de compras com prazo de pagamento superior a 30 dias e vendas à vista. Na segunda metade da década de 90, com a estabilidade da economia brasileira, tivemos grandes transformações. Os preços se tornaram estáveis no mercado, veio o Código de Defesa do Consumidor, e, conseqüentemente, o consumidor começou a comparar mais, discernir melhor onde comprar, o que comprar e como comprar. Para agravar o quadro, as fronteiras econômicas do Brasil foram abertas à competição internacional trazendo novas tecnologias e novos padrões de operação e de eficiência. Temos assistido um processo de concentração muito grande das empresas varejistas brasileiras, o que aumenta o nível de competição nos diversos segmentos varejista.

Você pode ser contrário a estas mudanças que temos assistido no varejo, pode lutar contra elas com todas as suas forças, mas elas vieram para ficar, são mudanças inexoráveis. O arejo é maior empregador e a porta de entrada do mercado de trabalho, oferecendo, quase sempre, a primeira oportunidade de emprego aos milhares de jovens que chegam todos os anos ao mercado de trabalho.

Para sobreviver nesse mercado altamente competitivo, o micro, pequeno e médio lojista tem que fugir da competição por preços e precisa ser diferente – e o grande diferencial competitivo desses lojistas está na qualidade da gestão e do atendimento e serviços prestados aos seus clientes.

No segmento de papelaria tem surgido no mercado à figura do “Atacarejo”, empresas que vendem tanto no atacado quando no varejo, aumentando a competição no setor. Daí surge à pergunta básica que todos querem saber? Como o micro, pequeno e médio varejista poderá sobreviver nesse novo mercado varejista?

Obviamente que não existe uma resposta específica, mas podemos sugerir uma estratégia que, se devidamente aplicada poderá ser a saída para sobrevivência da sua empresa: Atuar fortemente na melhoria da gestão, que usando uma linguagem simples, pode ser entendida com o aumento de vendas e redução de despesas, o que poderá ser feito com a melhoria dos processos. Quais os processos existentes na sua papelaria que poderão ser melhoradas? Alguns exemplos: processo de atendimento ao cliente; processo de recrutamento, seleção e treinamento de pessoal, processo de compra, processo de controle de estoque, processo de gestão financeira, processo de arrumação de vitrine e exposição de produtos, processo de divulgação da sua loja e muitos outros.

A melhoria de processo somente ocorre através das pessoas, razão pela qual você deve investir na capacitação do seu pessoal, para que possa usar a Inovação (como posso fazer a mesma coisa de forma diferente para obter melhor resultado) como ferramenta de melhoria de processo.

Ao acabar de ler este artigo, pense na loja empresa e faça o seguinte exercício: escolha 4 ações que podem ser feitas na sua empresa para aumentar as vendas, 4 para reduzir as despesas e como vou melhorar meus processos para conseguir este objetivo desejado?