A rotatividade de pessoal,  notadamente nas empresas varejistas,  vem sendo um dos maiores desafios para os gestores. Este assunto tem sido objeto de debate nas aulas dos cursos de MBA em Gestão de Varejo e do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Varejo do IVAR (Instituto do Varejo), dos quais sou coordenador e professor e onde estudam alunos de praticamente todas as empresas varejistas com operação no Rio de Janeiro, na busca de explicações para tamanha rotatividade de pessoal.

O tema  tem, pela sua importância, tem merecido de estudo de diversos especialistas do setor e a conclusão que se chega é que a minha geração e da maioria dos gestores, nascidos antes dos anos 80, chamada de geração X, ainda não descobriu a melhor forma de liderar a geração Y, que são os nascidos entre 1980 e 2000. Para melhor entendimento  apresento um quadro demonstrativo com o horizonte temporal das gerações:

As pessoas que fazem parte da geração Y, que hoje representam a principal força de trabalho do varejo, tem o seguinte perfil, segundo estudo da Bridge Research, feito a partir de entrevistas com pessoas com idade de 18 a 30 anos da Grande São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, das quais 48% homens e 52% mulheres:

  • Gostam de novidades, querem estar antenados e buscam símbolos que os liguem a comunidades;
  • Fidelidade a empresas não está em seus horizontes;
  • São impulsivos, impacientes e não pensam duas vezes antes de mudarem de emprego caso não se sintam valorizados ou confortáveis no ambiente corporativo;
  •  Tem a tecnologia na veia, perfil multitarefa e individualidade são conceitos que os definem muito bem, além de propensão em postergar compromissos e responsabilidades próprias da vida adulta, como deixar a casa dos pais e morar sozinho;
  • Se caracterizam pela volatilidade na profissão, a comunicação sem barreiras e pelo imediatismo;
  • Tem ímpeto de largar a empresa onde trabalha se não encontrarem um bom ambiente de trabalho e recompensa financeira e ter só um dos dois não os atende; é tudo ou nada;
  • Tem uma necessidade muito grande de receberam feedback por parte do líder. São muitos ansiosos. Dar retorno com mais frequência diminui essa ansiedade;
  • Precisam que as coisas sejam bem explicadas, o que para a geração anterior, que normalmente estão nos postos de liderança seria o óbvio, como questão de hierarquia e normas de comportamento dentro de uma empresa, para a geração Y nem sempre são;
  • Precisam que os limites sejam explicitados. Mas escutam a empresa e aceitam os limites, desde que compreendam quais sejam e para que servem;
  • Para essa geração  a comunicação não tem barreiras e deseja que as a empresa seja da mesma forma, com comunicação de mão dupla, o que os líderes atuais nem sempre praticam.

Com a diferença tão grande de conceitos e de valores, será que a geração X está preparada para liderar essa nova geração? Ou queremos que ela pense da mesma forma que pensamos? Você já parou para pensar que essa pode ser a razão da grande rotatividade de pessoal na sua empresa?

Em janeiro deste ano na NRF 2012, maior evento mundial de varejo, realizado em Nova Yorque, no período de 15 a 18, do qual participei, foi apresentado, um case de sucesso, pela Aeropostale, uma grande marca de moda jovem Norte Americana,  que vai abrir sua primeira loja no Brasil (em São Paulo), que conseguiu reduzir, de forma significativa,  a rotatividade de pessoal, adotando um postura de entendimento da geração Y e estabelecendo estratégias para atender as suas expectativas.

Em não tenho a mínima dúvida que a redução da rotatividade de pessoal nas empresas varejistas brasileiras passa pela mudança da forma como os nosso líderes estão tentando liderar essa geração Y. Procurar entender esses jovens, para poder atender as suas demandas e adotar um sistema de liderança transformadora  e a única saída para reduzir a rotatividade de pessoal e,  reduzir  o custo elevado da sua consequência, uma das rubricas que mais pesa na composição de custo das empresas e que tem impacto direto na qualidade do atendimento e do serviço prestado aos clientes.